Sistema Fiep amplia a oferta da modalidade para alunos do Ensino Fundamental I. Oficinas de aprendizagem são diferencial da instituição

Apenas 5% dos brasileiros têm domínio da língua inglesa. No ranking dos países fluentes no idioma, o Brasil está na 53ª posição. As informações são baseadas em um levantamento feito pela British Council, organização pública do Reino Unido que tem como objetivo difundir o aprendizado do inglês. Mas o aumento da oferta de ensino bilíngue nos últimos anos pode representar uma virada nos números. O mercado cresceu 10% nos últimos cinco anos, de acordo com a Associação Brasileira do Ensino Bilíngue (Abebi).

O contato com o idioma acontece cada vez mais cedo – graças à tecnologia, as crianças passaram a perceber a comunicação como bilíngue nos primeiros anos de vida. Não há uma idade certa para transformar esse contato em um aprendizado regular, em sala de aula. Mas é fato: quanto mais cedo, melhor. “Estudar um segundo idioma estimula as funções cognitivas das crianças, o que é extremamente positivo para o aproveitamento das outras disciplinas na escola. Quem começa a estudar inglês na infância provavelmente será fluente na vida adulta”, analisa Fabiane Franciscone, gerente de Educação Básica do Sistema Fiep.

Bilinguismo no ensino fundamental

Um estudo do Massachusetts Institute of Technology (MIT) realizado em 2018 revelou que, aos dez anos, a criança está na melhor fase para absorver um novo idioma. E que praticar o bilinguismo desde os primeiros anos de vida pode ser útil para desenvolver a concentração e o controle emocional.

Com base na experiência observada em suas próprias salas de aula, o Sistema Fiep, que já trabalha com metodologia própria para domínio do segundo idioma, vai ampliar a oferta a partir de 2020. O Colégio Sesi Portão, em Curitiba, vai incluir o 1º, o 2º e o 3º ano do Ensino Fundamental I no ensino bilíngue. “O Ensino Fundamental I – Anos Iniciais – Bilíngue possui foco estratégico e visa ampliar o acesso à metodologia inovadora das Oficinas de Aprendizagem, bem com o ensino de disciplinas em português e inglês. O resultado é a formação de adolescentes confiantes para ouvir, falar e compartilhar um novo idioma, e preparados para seguir seus estudos já com um bom domínio de uma segunda língua”, detalha Fabiane.

Interculturalidade

Nas Oficinas de Aprendizagem do Colégio Sesi, os alunos trabalham em equipes na resolução de desafios interdisciplinares. A metodologia estimula a criatividade, o relacionamento interpessoal e, na modalidade bilíngue, todos os conteúdos são ensinados em português e inglês. A gerente de Educação Básica do Sistema Fiep destaca que esse tipo de formação não é importante somente para o mercado de trabalho: “ao longo da vida, todo mundo estará em contato com pessoas de diferentes culturas. O inglês fluente abre as portas para uma carreira bem-sucedida, e mais do que isso, forma cidadãos protagonistas de suas histórias, que conseguem se comunicar de forma dinâmica e adequada”, conclui.

Fonte: G1